Pular para o conteúdo principal

Eduardo F.


29 de agosto.
Eu te ligaria agora para te encher de mimos, mas não tenho o seu número. Eu iria te visitar se pudesse e soubesse seu endereço. Eu até que te mandaria um e-mail, mas há tempo que você abandonou o computador e sumiu do mapa. Eu te daria um abraço, alguns beijos e muito amor, mas faz tantos anos que as portas do seu coração se fecharam comigo do lado de fora.
Eu poderia te desejar parabéns agora, gritar ao vento até que chegasse ao seu ouvido, mas eu realmente não sinto vontade de te desejar mais nada.  Como, irmãozinho, você que tanto amei se tornou tão indiferente assim para mim? Eu te prometi amor eterno até nos dias que você não mais se lembrasse de mim, perdoe-me por todo amor que eu tinha ter se tornado em mágoas inesquecíveis. Perdoe, ainda, por ter te deixado ir embora.  Todas as suas palavras sujas e suas ações podres não me doeram mais do que a morte do nosso amor.
Todas as nossas brincadeiras, nossos risos silenciosos na madrugada e as gargalhadas do fim de tarde não foram o suficiente para me fortalecer e continuar a te procurar, te trazer de volta. Porém, foi o teu sorriso sozinho, o teu choro inocente, as tuas feridas que apenas para mim você compartilhava e todo o seu jeito doce e infantil que reservaram um carinho único aqui em meu peito. Eu ainda te gosto tanto. Foi tudo o que sobrou o meu amor forte por você: um carinho único. Não te procuro mais, nem te espero, mas se você vem, corro para seus braços sem falar sobre os nossos últimos dias (tristes e raivosos), apenas me permito ser feliz novamente.
Hoje você faz vinte e poucos anos (desculpa, perdi a conta) e eu não vou poder fazer nenhum presente bobo ou contar uma piada besta. Ou fingir que não me lembro... Ah, meu querido Eduardo, nosso tempo junto foi o melhor tempo de minha vida. Ah, meu Eduardo... Não me faça suspirar só com teu nome! Foi você quem me ensinou que quando se ama, é até ficar velhinho. E me ensinou, também, que isso não é verdade. O amor pode ser esmagado até virar um carinho saudoso. Perdoe-me por te amar secretamente e não admitir isso. Perdoe-me por não te amar mais e ter absoluta certeza da minha indiferença. E não te desculpo por me confundir tanto. Seja como for, rasgarei essa data do meu calendário até o dia que você voltar. Ou até o dia em que nos encontraremos por aí.

Comentários

  1. Existe uma frase, não me lembro ao certo de sua autoria, mas é mais ou menos assim. "Desafie o medo e a vontade de viver. Faça dos seus dias sonhos e de seus medos obstáculos vencidos. Faça da saudade uma esperança de reencontro e das lágrimas sorrisos. faça das amizades passadas belas lembranças e das futuras, ah.. estas eu espero que durem pra sempre."
    Um dia conheci uma garota, que fez do mundo um lugar melhor. Espero um dia poder me encontrar com ela. Seu blog é incrível. Parabéns. Té Mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que não tenho outra opção além de transformar tudo em belas lembranças...
      Espero que um dia ela possa te encontrar também e que o tempo não seja problema para vocês. Tenho certeza que quando vocês se cruzarem de novo, ela vai te reconhecer e as coisas vão ser diferentes. Obrigada pelo comentário rs

      Excluir

Postar um comentário