Pular para o conteúdo principal

O sangue que as rosas me trouxeram


- Por que sangras?
- Cortei-me.
- Como? Sempre foi cuidadosa.
- Fui traída. Encantei-me pela beleza das rosas, ignorando totalmente os espinhos que ali me ameaçavam. Nem me importei, mas nem nas rosas chegar, eu cheguei.
- Ah tola, já te avisei. Deixa as flores pros beija-flores. Só tente pegar o que não quer te ferir.
- Mas eram lindas as rosas.
- Esquece. Elas não são para você. Deixa que o brilho do sol te ilumine, deixa que a lua te hipnotize. Só pode te magoar o que pode te tocar. Então apenas observe. Faça como eu, senta aqui, bebe um pouco de café e vê o brilho vir e passar, a lua chegar e sumir de novo.
- Isso não é viver. Quero o toque, mas não os cortes.
- Deixa isso para quem tá lá em cima. No poço não tem essas coisas não. Senta, boba, e se contenta. Talvez um dia você consiga sair. Mas enquanto sangras, não tente prosseguir.

(Rayanne C.)

Comentários